Publicado em Deixe um comentário

DRYWALL: ENTENDA COMO FUNCIONA ESSA TECNOLOGIA E COMO PODE SER APLICADA

Drywall é uma tecnologia moderna de construção civil que substitui as paredes de alvenaria, feitas de tijolos ou blocos assentados com massa de cimento. O termo significa “parede seca”. É o sistema mais utilizado em paredes e forros na Europa e nos Estados Unidos e vem ganhando espaço no Brasil por ser um processo rápido, econômico e racional.

As paredes feitas em drywall são compostas por uma estrutura de aço galvanizado e chapas de gesso de alta resistência, aparafusadas em ambos os lados. Têm medidas precisas e são projetadas para suportar, com segurança, dispositivos como portas, armários e estantes. São mais flexíveis que construções de alvenaria, permitindo soluções criativas. Na hora da montagem, o drywall significa rapidez e limpeza, já que a execução gera pouco entulho. Além disso, proporciona uma qualidade superior de acabamento. A parede oferece uma superfície lisa e pronta para receber qualquer tipo de acabamento, seja pintura, azulejo, pastilha ou mármore, entre outros.

Manutenção e reforma se tornam processos mais fáceis que nas paredes comuns. As instalações elétricas e hidráulicas passam pelo interior das paredes, agilizando o acesso. Se ocorrer um vazamento de água, por exemplo, basta fazer um recorte na chapa para permitir o conserto do encanamento. Depois a parede é fechada com o mesmo pedaço de chapa. Um profissional especializado executa o serviço em um dia, dispensando quebra-quebra, evitando sujeira e transtornos.

Outra vantagem da tecnologia drywall é poder ser utilizada sem nenhum problema nas áreas úmidas, como banheiros e cozinhas. Nesse caso, são indicadas as chapas verdes, resistentes à umidade e com proteção antifungo. Para isso, a impermeabilização segue o procedimento básico, o mesmo para qualquer área úmida de alvenaria.

Mesmo as paredes sendo menos robustas, nem de longe isso significa menos conforto ou proteção. Além de oferecer ótimo isolamento acústico, as propriedades das chapas de gesso contribuem para controle da temperatura. Desse jeito, o ambiente fica mais fresco no verão e mais quente no inverno. Para completar, o drywall apresenta boa resistência em caso de incêndio. Em áreas que necessitam de uma proteção maior, são colocadas chapas especiais, resistentes ao fogo.

Como o drywall pode ser aplicado?

É uma solução criativa e moderna que pode ser utilizada tanto em projetos corporativos quanto residenciais. Confira abaixo alguns exemplos da sua aplicação. Nas imagens, veja projetos em drywall assinados pelos membros da CasaPRO.

Ganhando espaço:

As paredes de drywall são mais finas que as de alvenaria. Isso permite que o espaço seja mais bem aproveitado, ganhando área útil. É excelente para montar pequenos ambientes, como uma copa utilitária e discreta no escritório, ou transformar aquele espaço embaixo da escada em um armário.

Antecipando reformas: 

Quando o projeto for de reformas no imóvel, ela permite praticidade, limpeza e economia. Um casal que prevê a chegada de filhos já sabe que vai precisar adequar o imóvel conforme mudanças forem surgindo. Dá para construir o quarto do bebê, redimensionar a sala ou ampliar a cozinha com toda tranquilidade – o que seria bem mais trabalhoso com paredes de alvenaria.

Decoração e iluminação: 

Recortes nos fornos e paredes são aplicados com função decorativa. Além disso, é possível criar uma iluminação diferenciada, que valoriza todo o projeto do ambiente.

Atendendo exigências acústicas: 

É ideal para ambientes que necessitam de proteção sonora, como casas de show, cinemas e auditórios. Pode ser na montagem do home theater ou em um espaço reservado para assistir a filmes com qualidade de cinema. Também é uma solução para casas ou ambientes geminados, onde barulhos gerados por um vizinho podem atrapalhar o outro.

Montando nichos: 

O drywall permite que nichos sejam montados, além de prateleiras, bancadas e painéis. É uma solução não apenas funcional, mas que atende a necessidades estéticas. Prateleiras de vidro ou qualquer outro material são fixados entre as placas de gesso para montar estantes, é possível embutir bancadas de mármore ou granito. Já os painéis podem abrigar os aparelhos eletrônicos ou eletrodomésticos, além de esconder detalhes como vigas, fios, dutos.

Funcionando como divisória:

O drywall oferece a mesma resistência e todas as vantagens de uma parede de alvenaria, porém, a sua montagem e deslocamento são muito mais práticos. Excelente para ser usado como divisórias de escritórios e demais ambientes corporativos, garantindo maior tranquilidade quando for preciso reconfigurar o ambiente.

Publicado em Deixe um comentário

SUSTENTABILIDADE E CONSTRUÇÃO CIVIL: É POSSÍVEL CAMINHAREM JUNTAS?

A construção civil é uma das atividades que mais consome recursos naturais e, consequentemente, gera diversos impactos ao meio ambiente. Segundo as estatísticas do Sindicato da Construção Civil, somente na questão dos resíduos sólidos, o setor é responsável pela geração de mais da metade dos resíduos nos municípios brasileiros.

Além dos impactos decorrentes da geração de resíduos, o consumo de materiais, energia e água são fatores que contribuem para transformar a construção civil em uma atividade potencialmente danosa ao meio ambiente.

Novos paradigmas da construção civil

Procurando minimizar os impactos causados, construtoras, engenheiros e arquitetos vêm buscando soluções de forma a consolidar o paradigma da construção sustentável. Para tanto, conceitos tradicionais da construção civil e da arquitetura vêm sendo revistos.

Os desafios para o setor são diversos e devem estar direcionados para otimizar o consumo de materiais e energia, além de reduzir os resíduos gerados, preservar o meio ambiente natural e melhorar o meio ambiente construído.

Uma das soluções apontadas para o setor é a adoção da construção seca. Trata-se de um método em que paredes rígidas compostas por perfis de aço e gesso são moldadas para estruturar as obras. Além de permitir velocidade na execução, constitui uma das técnicas menos nocivas ao meio ambiente.

A construção seca e o meio ambiente

Muito utilizada nos Estados Unidos e na Europa, a construção seca chegou ao Brasil conquistando o mercado comercial e corporativo. Devido às vantagens que possui, vem ganhando espaço em todos os tipos de obras, incluindo as residenciais.

Por se tratar de um método bastante “limpo” de construção, muitas construtoras vêm aderindo à técnica como forma de preservação do meio ambiente.

Entre as vantagens da construção seca, considerando a sustentabilidade, vale a pena destacar que:

– A construção seca praticamente não gera qualquer tipo de entulho;

-O consumo de água é bastante reduzido quando comparado aos métodos de alvenaria, por exemplo, utilizando-a apenas para as fundações;

– Reduz em até 80% a utilização de cimento, além de possibilitar a reciclagem de cerca de 100% de sua estrutura;

– Reduz em até 90% o consumo de matérias primas naturais.

Para quem quer alternativas mais sustentáveis para a construção civil, técnicas de construção seca podem se adequar às necessidades.

Ficou interessado nesse novo método ou com alguma dúvida sobre como funciona? Escreva pra gente pelos comentários.

Publicado em Deixe um comentário

DRYWALL EM ÁREAS ÚMIDAS

As paredes de gesso já mostraram que são a solução ideal para a construção civil: práticas desde a sua instalação, e com um excelente custo-benefício.  O drywall funciona, inclusive, em áreas que são diariamente expostas à umidade, como o banheiro, a cozinha, a lavanderia e a área de serviço. Ele não apenas pode ser utilizado, como é uma excelente solução para esse tipo de espaço.

É necessário, porém, escolher o tipo certo de chapa. Não basta utilizar as comuns (standard) com impermeabilizante, como muita gente faz para economizar na construção. Em ambientes sujeitos à umidade devem ser aplicadas as placas RU (placas resistentes à umidade), também conhecidas como “chapas verdes”. Elas possuem elementos hidrofugantes, ou seja, que repelem a água.

Mesmo assim, o drywall em áreas úmidas deve passar por um sistema de impermeabilização. As opções incluem as membranas de asfalto elastomérico para aplicação a frio (as chapas de gesso não devem ser submetidas a sistemas para aplicação a quente), membranas acrílicas e cimento polimérico. Depois que é feita a impermeabilização do drywall, a parede está pronta para receber qualquer tipo de acabamento, incluindo pastilha, mármore, granito e cerâmica, entre outros.

Fique atento! As chapas verdes não são à prova d’água, embora apresentem maior resistência à umidade, funcionando também contra respingos de água. Por isso, não é recomendado que elas sejam usadas como forro de piscina ou sauna.

Facilidade na manutenção

Uma das principais vantagens de utilizar o drywall nas áreas molhadas é a facilidade de realizar a manutenção. Quando é preciso realizar algum reparo, as chapas de gesso impermeabilizadas podem receber o conserto com a mesma praticidade que qualquer outra estrutura em drywall.

Primeiro, é feita uma abertura em formato retangular na parede, sempre com a ajuda de um serrote de ponta. O conserto – seja na instalação elétrica ou hidráulica – pode ser concluído de forma rápida, sem nenhuma bagunça dentro de casa. Em seguida, é usado um pedaço de chapa para fechar a abertura, que pode ser o mesmo fragmento retirado da parede. Esse fragmento então é parafusado no local certo, com o auxílio de dois pedaços do perfil estrutural. Para finalizar o trabalho, as juntas da abertura são tratadas com uma massa e a fita apropriadas. Uma vez que a parede já está seca, é só realizar o acabamento.

Com o drywall, você escapa daquele processo chato de ter que quebrar os tijolos e o reboco – fazendo a maior sujeira na casa! – toda vez que precisa realizar um conserto na cozinha ou no banheiro.

Recomendações especiais

Dependendo do ambiente onde serão instaladas as paredes de gesso, é preciso tomar alguns cuidados especiais. O banheiro, por exemplo, é um espaço que requer maior atenção.

Acontece que, além da umidade, em alguns desses locais a presença da água é constante. É o caso das paredes mais próximas ao chuveiro, sempre molhadas, ou dos cômodos onde o chão vai ser lavado. Para garantir a conservação do drywall, a área de encontro entre a placa de gesso e o piso também deve ser impermeabilizada.

Isso pode ser feito com rodapés próprios, que recebem o mesmo tratamento impermeabilizante das paredes e forros em drywall. A aplicação deve começar ainda no piso, entre 15 e 20cm da parede, e subir por ela até alcançar pelo menos 20 cm de altura.

Acabamento em cerâmica com argamassa colante

Mesmo que não estejam localizadas em áreas úmidas, as paredes de gesso que vão receber acabamentos cerâmicos também requerem um cuidado especial.

A cerâmica é assentada com argamassa colante, que deve ser misturada com água. O problema é que essa água logo é absorvida pelas chapas de gesso comum, chamadas de chapas standard. Quando os azulejos são colados, eles acabam se soltando com facilidade da parede. Nesse caso, também é preciso usar as chapas verdes impermeabilizadas.

Ficou com alguma dúvida a respeito do uso das chapas verdes em ambientes úmidos? Escreva pra gente!